sábado, 5 de abril de 2008

Júlia (porque não dá pra falar de uma sem falar da outra)


Essas duas tinham que nascer tão perto uma da outra? Quer dizer, isso acaba com uma prima de bom coração e pouca imaginação pra fazer dois textos de aniversário. Mas não dá pra falar da Vitoria sem falar da Júlia. E não da pra fazer um texto de aniversario pra Vi, e não fazer pra Ju.

Bom, a pequena Júlia, que não é mais tão pequena assim – pois neste dia 05 de Abril debuta – sempre foi como uma irmãzinha, afinal, ela tinha a mesma idade que o meu irmão mais novo. E como toda irmã mais nova, ela conseguia irritar, muito bem, mas eu a amava acima de tudo.

Quer prova do meu amor? Você é a única emo que eu aturo. Quer prova maior? Não existe.

Mas agora sem brincadeira. Te adoro muito Júlia. Você é uma coisa fofa que dá vontade de morde. Outro dia encontrei uma foto tua nas caixas aqui de casa, tu bem novinha, tem que vê a coisa mais linda. Na época em que tu era loira. Loira mesmo, que nem a Catharina. Se não for mais. Da vontade de comer. Coloquei ate a foto no meu mural, todo dia vejo, aquele coisinha loira segurando uma flor numa foto antiga. Antiga mesmo.

Outro dia tava numa loja, e vi uma menina, tinha uns três anos. Era a tua cara quando tinha essa idade. Lembrei da foto. Lembrei de ti. No mesmo dia uma amiga chegou dizendo que tu tava na cidade, aquele tive um troço. Isso que é o Segredo, hein? (não que eu acredite, de fato, achei o filme chato e muito... Irreal.).

E você tem olhos lindos. Lindos mesmos. Eles são coloridos. Não são verdes, ou castanhos, são multicor. Acho lindo. Me perco nos teu olhos, tentando descobrir de cor eles vão ficar no proximo segundo, em determinada luz. Chega a ser viciante.

Sinto falta de ficar sem fazer nada na tua casa, assistindo TV e comendo bobagem. Só lembro do dia que decidimos comer as 3 horas da manha, mas obviamente, não tinha nada. Então, fomos cozinhar. Fazer arroz... Na leiteira? Há há há, só a gente mesmo, né? Ficou uma papa, tudo grudado, claro, a gente fez tudo errado. Mas ficou bom, nossa, ficou ótimo. Um dos melhores que já comi em minha vida. Ou talvez fosse a fome que tava muito grande.

Feliz aniversário prima.

Te amo muito.

3 comentários:

Nathália disse...

Nossa, o arroz deve ter ficado um quitute. Hahaha. Maravilhosa cozinha subversiva de Ofélia.
Era Ofélia o nome da velhinha super cozinheira do bem, né?

Ó, parabéns pra Júlia e muitos anos de vida e tudibão e mais todas aquelas coisas que eu desejei pra Vitória pegando carona no que todo mundo sempre deseja.

Sabe que minha dislexia fez eu cismar que o nome da Vitória era Júlia. Ela tem mó cara de Júlia.
Depois a Raquel comentou a mesma coisa. Daí eu pensei: Acho que a Veriana errou os nomes.
Depois pensei de novo: Cara, eu a Raquel somos as novatas. Então nós é que somos as disléxicas.

:D

Ah, e quanto a obsessão, menina, é coisa do demônio. Vou me benzer e ir no topo de um morro da Bahia tomar banho de pipoca.
É, acho que isso tá de bom tamanho. Tenho medinho da Sessão do Descarrego.

Beijo! :*

raquel disse...

(eu comentei nesse post hoje de manhã, cara! Juro! E agora eu não lembro o que eu disse)

Eu disse “vou tomar um cappuccino.”
Ok. Aí eu vi uma saco plástico e, burramente pensei, “oh, vou chutá-lo pra cima”. Aí eu chutei. Só que foi a cama. Aí eu “quase”
ok moça...ainda quero entender como "tomar um capuccino" se transformou em "quase arrebentei meu pé".


Esse negócio de morar com avó me lembra uma senhorita que tinha 11 gatos e usava umas roupas não muito… Cheiráveis. Nunca conheci meus avós e tal. Mas eu nunca quis também. Dur. Então, garotinha, beijo!

E pra Júlia, que tem os olhos profundérrimos, ai, dá vontade de me afogar nesse olhar, ui!

“E você tem olhos lindos. Lindos mesmos. Eles são coloridos!”

A parte dos coloridos, pode dizer, aprendeu comigo. Clap, clap, clap.

Me sinto tão mordida ultimamente que daqui a pouco vão perguntar onde que eu adquiro tantos hematomas… Haha.

Beijo-beijo, guria!

rayza quem? disse...

os olhos de papai tb são assim. queria q os meus fossem mais interessantes, sabe, o máximo q dá pra falar deles é q são preto-brilhantes, hahaha. (q deprimente)

porra, eu te fiz strogonoff, não ganho nenhum crédito!?

(tô levemente egocêntrica hj)

enfim, eu encontrei com ela em brasília do nada. ela é bonitinha, eu queria ter um piercing q nem o dela (queria, agora nem quero mais, foi na minha fase qse-emo).

tchau!

eu tb sou disléxica, fundaremos um clube!
êee.