domingo, 6 de abril de 2008

proposta

Vamos correr? Dê-me sua mão, segure bem forte a minha e vamos correr. De mãos dadas, que nem naquele filme da Eva Green e do Michael Pitt. E do filme que eles homenageiam, que eu ainda não assistir, mas quero. Vou. Correndo e correndo, e rindo. Não estaremos fugindo do passado, estaremos indo de encontro ao futuro. Você e eu. Nós.

Vai tocar Câmera Obscura no fundo. “Let’s Get Out of This Country” que foi a primeira música deles que eu ouvi (com você). E que combina mais com a cena. (e com a gente).

Nós iremos correr e correr e só sentir o vento em nossos rostos, o pulmão procurando por ar e nossas mãos. Juntas. Se segurando. Se apoiando. Estamos sempre nos apoiando.

Vamos correr. Dê-me sua mão e segure bem forte na minha e vamos correr. Vamos sonhar. Vamos voar.

6 comentários:

rayza quem? disse...

passar por cima do mar e chegar no japão! ver albatrozes (aí pode mudar a música), gaivotas e coisas que voam no céu (balões?).
de mãos dadas a gente chega lá no infinito.



que bonito :)

Nathália disse...

Prefiro andar calmamente. Sou um desastre correndo.
É que eu... ai... eu não sei correr.
Nem andar, na verdade. Eu caio sempre, do nada. É a gravidade. Ela me odeia, sabe?

Mas poxa, deve ser linda essa cena de correr de mãos dadas, sorrindo e com o vento na cara.
Ah sim, tenho problema com o vento também. Sempre que ele está na cena é no sentido contrário ao meu, jogando o meu cabelo na cara e me fazendo comê-lo. Só que a vida não é ruim só porque a gravidade quer me ver estatelada de cara no chão e o vento quer me sufocar com meu próprio cabelo. Ela é muito boa, sim senhora.
Tá, não é tanto. Mas é boa sim, ora essa.

Pode correr que eu fico olhando a cena. É mais seguro.
:D

Beijo! Beijo!

raquel disse...

Mordida de amor dói sim! Dói pra caramba, na verdade. Uma vez fui mordida por várias pessoas e fiquei cheia de hematomas. Não foram várias pessoas, foram duas.
E nem cogite a hipótese de morar comigo, senão teria que cozinhar, arrumar a casa e me agradar all the time. Tá, mentira. Hahaha. Não é pra cogitar porque esse posto é da Nathy e, se EU cogitasse essa hipótese, ou ela me daria um tiro. Ou ela daria um tiro em você. Hahaha!

Ai! Que bom, estou me sentindo amada, querida e requisitada. Então! Beijo na ponta do nariz!

eu ate pediria para morar contigo, mas a Rayza tem uma certa vantagem de 18 anos. Mas tb adoraria morar contigo, vc é fofa. O perigo seria te morder demais. (e a nat me matar....Ela diz que é da paz, mas nessas circuntancias eu n sei n...)

Seus hematomas são marcas do nosso amor pq vc. Mordida de amor n doi
(teoricamente)

Nathália disse...

Ou então daria um tiro nas duas.

Poxa, nem sou essa coisa violenta que aparento.
Só porque sou obsessiva não quer dizer que sou assassina. Rá!

Sabe que a Raquel me disse que seu sobrenome também é Alves.
Fiquei surpresa!

E dedos disléxicos são um problema: lá no fim do seu comentário no meu blog, ao invés de gravidade só saiu "gravida".
Hahaha. "Que a gravida não te mate". Poxa, tomara mesmo.

:D

Beijo! Beijo!

Anne Nascimento disse...

ah fia
nem fala em correr que minhas pernas já tão fudiiiidas

Magda Tomaz disse...

vamosss, correr e se tivermos sorte os deuses podem até nos batizar com a chuva!!! correndo na chuva... me deu até vontade de correr. rsrsr saudades nina!!