quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

texto em primeira pessoa

não consigo começar esse texto sem parece piegas. Ola, meu nome é Carol e eu larguei tudo para me dedicar a ociosidade.


(...)

estou em paz comigo mesma e esse é um sentimento novo e acolhedor. parei, já faz um tempo, de fazer o que achava que as pessoas esperavam que eu fizesse. parei de tentar impressionar tanto o universo e decretei que iria viver a minha vida sem pressa e sem pressão (ou opressão).

me sinto bem melhor agora.


(...)


eu nunca lidei muito bem com expectativas (e ate hoje, ao primeiro sinal delas sinto um frio na barriga, peço licença e vou embora, sem nem uma despedida apropriada). As poucas que havia traçado me consumiram de tal maneira que ate hoje sinto pontadas no estômago toda vez que como algo apimentado.


(...)


Ah é? Pois fodam-se vocês.


(...)

Sinceramente, eu não estou me importando muito com o que os outros vão pensar. Decidi tirar férias da minha vida permanentemente. Algum problema com isso?


Um comentário:

miguel alves disse...

gostei de seu texto