segunda-feira, 23 de junho de 2008

Pensatas de Friagem

Não há mais brincadeira, risinhos e sonhos. Eu não sonho mais. (ou melhor, sonho demais). As palavras foram para o bem, eu sei. Mas elas atingem. Eu penso e repenso, revejo(-me). Ainda assim não encontro nada.

A solidão me abate, e ela não é mais tão desejada. Preciso de palavras de consolo, de carinho, mas não há ninguém para proferi-las. E por um momento me sinto, de novo, perdida. Perdida como há tempos não me via. E a lua não esta aqui para iluminar meus pensamentos. Esconde-se nas nuvens da friagem (a mesma que me abraça)


(eu queria de volta a seguranças de outrora)

2 comentários:

rayza quem? disse...

em todo mundo, em toda mão
em todo beijo você entende
que viver é para outros
e eu espero que você saiba que eu sou eu

pensando em história
vivendo na, estou vivendo pela história
e eu acho mesmo que você sabe de mim.
porque eu sou.

um e um são dois, mas três é companhia
quando se pensa nas coisas que se disse
nas coisas que se sabia

eu quero te contar minha história
a fábula de como me apaixonei e pulei nos trilhos
você compreende?
há mais num sorriso do que em qualquer mão.

em todo céu, em todo beijo
há uma coisa que você pode não ter percebido
e por que estaria eu indo
a um lugar que agora é seu?

mas você é fraca, assim como eu
vamos começar hoje, vamos pelo menos tentar
vicer hoje, então porque não
sorrir?
não sonhe sua vida até o final.

porque ela é minha.
ela é minha.
seria um crime?

essa vida é minha, mas
a cama não está feita -
ainda está cheia de esperança;
(e eu tenho uma vida inebriada)


[the verve - history]

Thefy disse...

...ultimamente tenho me sentido da mesma forma, mesmo lutando muito contra..mas as vezes é em vão..
espero que volte à sonhar, a sorrir, a viver intensamente...
bjokas